"Este blog é administrado por Simone Fernandes e não tem nenhum vínculo com fã-clubes do cantor. É somente uma forma de homenagear este grande artista, compartilhando suas histórias, respeitando seu legado, família, amigos e os milhares de fãs que existem no mundo todo."



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

29/03/2015

ELVIS E AS MULHERES DE SUA VIDA - PARTE 1

Na década dos anos 1950, no sul dos Estados Unidos, por tradições da religião protestante do local, o sentimento de 'amor' era guiado por um verdadeiro culto à mulher. O que seria o objeto mais devotado? A mãe. O 'amor físico' era motivo de horror. Este comportamento e pensamento, provocou um verdadeiro complexo e até mesmo neuroses. E no curso daquele últimos trinta anos, ia crescendo uma onda  de sensualidade.

Toda essa cultura de comportamento, atitudes e pensamentos, nos dá uma vasta compreensão das relações que Elvis tinha com as mulheres. Criado no sul, num ambiente conservador e protegido por sua mãe, o cantor se encaixava exatamente nessa doutrina sulista. Reduzindo a mulher aos polos extremos com duas visões: a esposa, mãe, virtuosa, assexuada e vestida discretamente como uma santa; a outra visão é de uma mulher vulgar, frívola, sensual e desprendida.

Elvis foi crescendo aprendendo a respeitar esses valores em relação a figura da mulher. 
Tímido, alimentado por seus complexos de adolescente, limitou seus contatos com as garotas da sua idade, apesar de atraí-las, admiradas por sua delicadeza e fragilidade. Assim foi com Regis Vaughan, que foi seu par no baile de formatura, ao completar 18 anos de idade. Por confidências de pessoas próximas que conviveram com Elvis, foi nesta época que ele começou sua vida sexual, de acordo com as regras da época e do local, que dispensava os homens em caráter de 'pureza'.

Mais tarde, ele conhece Dixie Locke, com quem inicia um relacionamento mais sério. Dixie era a nora ideal, um reflexo de esposa perfeita, já que ela vinha de um ambiente cristão e trabalhador, ganhando assim um voto de confiança.

Inspirado no exemplo dos pais, em 1954, Elvis e Dixie pensaram seriamente em casamento. Mas preferiam esperar Dixie terminar os estudos antes de consumar a relação.

Com a chegada inesperada do sucesso da canção 'That's All Right', com as turnês cada vez mais frequentes, Elvis e Dixie foram se distanciando um do outro. Dixie já não se encaixava ao novo jovem que surgia, diferente do rapaz tímido por quem havia se apaixonado. E Elvis foi deixando para trás aqueles costumes burqueses, preferindo estar em meio aos adultos, na companhia de músicos mais velhos do que ele. A separação foi inevitável no verão de 1955. A confirmação disso veio com uma declaração do cantor feita á imprensa na fase de sua carreira: "Eu quase me casei antes de abraçar a música. Para dizer a verdade, meu primeiro disco me salvou a vida."


CONTINUA...


Fonte: Elvis Presley e a Revolução do Rock.
Adaptação de texto: Simone Fernandes.


Licença Creative Commons
Elvis Presley Rei do Rock de Simone Fernandes é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em http://elvispresleyreidorock.blogspot.com/.

6 comentários:

  1. As vezes eu me pego pensando que se ele tivesse ficado com ela teria sido muito feliz! Ela conviveu com ele desde antes da fama, conhecia o verdadeiro Elvis! Gosto bastante dela! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo!
      Um beijo grande e obrigada pela visita :)

      Excluir
  2. E ela está uma senhora LINDA! LINDA! Discreta. Fariam um belíssimo par se ele estivesse vivo. Uma pena mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Domingos, uma pena mesmo!
      Um grande abraço e obrigada pela sua visita :)

      Excluir
  3. Queria ter aquela maquina do tempo do filme" De volta para o futuro" e daria um jeitinho de mudar essa decisao dele,mesmo sabendo do legado que ele deixou pra
    musica,eu preferiria que ele tivesse tido uma vida simples,mas feliz. Meu Deus como eu queria ter aquela maquina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Alessandra, eu também já pensei muitas vezes em ter uma máquina daquelas rs... acho que todo fã desejou que a vida de Elvis devia ter sido mais feliz.
      Mas eu penso assim: Não se pode ter tudo na vida. Sempre sacrificamos algo por outra coisa. Ou ele seria o Elvis Presley ou um rapaz simples de Memphis, trabalhador, pai de família... Apesar de todas as tristezas que Elvis teve que passar, das decepções, traições... acredito que ele teve seus momentos de felicidade. Pena que no final de sua vida, ainda tão jovem, ele esteve tão insatisfeito, solitário e infeliz. Mas a vida é assim, né? O importante que ele passou por aqui, fez sua história, deixou sua música...

      Um beijo grande e obrigada pela sua visita !!! :)

      Excluir

Obrigada pela visita e comentário!

*Simone Fernandes*