"Este blog é administrado por Simone Fernandes e não tem nenhum vínculo com fã-clubes do cantor. É somente uma forma de homenagear este grande artista, compartilhando suas histórias, respeitando seu legado, família, amigos e os milhares de fãs que existem no mundo todo."



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

28/02/13

ENTREVISTA COM VERNON PRESLEY - PAI DE ELVIS



Esta entrevista a Vernon Presley, foi realizada por Nancy Anderson - editora da Revista ' Good Housekeeping' em jeneiro de 1978.

"Em primeiro lugar quero dizer que vai ser muito difícil contar essa história, agora que Elvis se foi. Aqueles que perderam seus filhos e sofreram assim como eu estou sofrendo, sabem muito bem o que estou dizendo. A morte de Elvis foi tão de repente que vai ser preciso passar muito anos até que eu possa aceitar. Mas eu tenho recebido muito carinho dos milhares de fãs que amavam e ainda amam Elvis. Eles me têm manifestado muito carinho e simpatia. Sabem que não irão vê-lo novamente, mas sempre vão valorizar e preservar a memória e o prazer que ele os proporcionou"----- Vernon Presley.
"Meu amor pelo meu filho começou antes mesmo dele nascer em 08 de janeiro de 1935. Naquela época não havia quase ninguém mais pobre do que minha esposa Gladys e eu. Mas ficamos muito ansiosos e entusiasmados quando soubemos que iríamos ser pais. Eu tinha apenas 18 anos, mas durante toda a gestação de Gladys nunca me ocorreu que eu não seria capaz de cuidar dela e do bebê. O nascimento de Elvis foi demorado e muito difícil para a minha esposa, e como as dores de seu trabalho de parto continuavam muito forte, eu entrei em desespero.
Meus pais estavam em nossa casa com a gente, junto com duas mulheres e uma parteira. Eles me disseram que o caso era crítico, que era necessário chamar um médico. Depois de longas horas nasceu um menino morto. Eu estava desolado com a perda de nosso filho. Mas, então, meu pai colocou a mão na barriga da minha esposa e anunciou: "Vernon, há um outro bebê aqui!"
Na época em que Elvis nasceu, a medicina não era avançada o suficiente para um médico prever o nascimento de gêmeos, por isso a sua chegada nos surpreendeu completamente.

Nossos meninos pareciam semelhantes, mas eu acho que eles não eram gêmeos idênticos. Mesmo o mais velho estando morto, lhe demos o nome de Jesse em homenagem ao meu pai, e para o mais novo,  lhe demos o nome de Elvis, em minha homenagem, já que Elvis é o meu nome do meio. Nós escolhemos os nomes do meio de Garon para Jesse e Aron para Elvis porque conhecíamos um casal cujo filhos gêmeos tinham esses nomes.
Elvis me perguntava ao longo dos anos, se sua vida teria sido diferente se seu irmão não tivesse nascido morto. Cheguei à conclusão de que não teria sido, porque eu acredito que a carreira de Elvis já estava traçada para o mundo desde aquele momento. Porque durante a sua infância, certas coisas aconteciam que me convenceram de que Deus tinha dado à mim e minha esposa uma criança muito especial, por quem Ele tinha alguns planos muito especiais para a vida dele.


Gladys e eu estávamos tão orgulhosos de Elvis e gostávamos tanto dele, que imediatamente queríamos mais filhos. Mas, por razões, que nenhum médico podia explicar, Gladys não engravidou mais. Enquanto isso, Elvis crescia  e se tornava um menino alegre. Nós oramos muito sobre o fato de minha mulher não ter mais filhos. Pois não havia nenhuma razão por parte da medicina disso não acontecer. Mas ela não engravidou.

Quando Elvis tinha 10 anos de idade, a razão foi revelada de forma muito clara para mim de uma maneira que eu não posso explicar. Só posso dizer que Deus falou ao meu coração e me disse que Elvis era o único filho que nós teríamos e que era a criança que precisávamos. Elvis foi um presente especial que iria preencher nossas vidas completamente. Sem Jesse que nasceu morto, sem outras crianças que esperávamos ter, entendemos que éramos um círculo familiar extraordinariamente completa.
Eu nunca mais me perguntei por que não tinha mais filhos. É difícil descrever o sentimento que Elvis, sua mãe e eu tínhamos um pelo outro. Apesar que havia amigos e parentes perto, incluindo os meus pais, nós três formamos nosso próprio mundo privado. Elvis era um bom filho, que raramente nos deu problemas. Eu o repreendi algumas vezes, mas agora eu acredito que foi por nada.

Eu era um diácono da Igreja Assembleia de Deus no leste de Tupelo e sempre levávamos  Elvis à igreja conosco todos os domingos. Mais tarde, depois que nos mudamos para Memphis, ele foi batizado na Assembleia de Deus.Mas não pertenceu a nenhuma igreja e nem outra religião por completo.


Elvis cresceu muito próximo a sua mãe. Ele costumava chamá-la de "Baby". Ele também era bem próximo de mim, tanto que tivemos um maravilhoso relacionamento familiar bem equilibrado.

Eu não o submeti a nenhuma escolha profissional e nem o empurrei a nada. Alguns pais queriam que seus filhos fossem jogadores de futebol ou advogados ou qualquer outra coisa. Eu só queria que Elvis fizesse algo que o deixasse feliz.

Quando ele era menino, eu o convidei para ir caçar comigo, mas ele me respondeu: "Papai, eu não quero matar pássaros," eu não tentei persuadi-lo a ir contra seus sentimentos.

Um dia terrível foi quando Elvis tinha seis anos de idade e estava com  amidalite aguda, com febre tão alta, que ele estava à beira de ter convulsões. Gladys e eu estávamos com muito medo de perdê-lo. Pois o nosso médico admitiu que não tinha jeito. "Eu não posso fazer mais nada", disse-nos. "Talvez você devesse chamar outro médico."


Isso foi o que nós havíamos feito. Então nós oramos para o maior curador de tudo, Deus. Eu acredito em oração. Eu acredito em milagres, por isso nesse dia eu orei a Deus para que Ele milagrosamente curasse nosso Elvis, que era o melhor que tínhamos. Deus fez o milagre  e atendeu nosso pedido, mais uma vez reafirmando-me que a vida do nosso filho era especial.

Eu não quero dizer que eu sabia que Elvis ia ser famoso, porque naquela época a ideia nunca passou pela minha cabeça. Uma pessoa não tem que ser um cantor ou uma estrela de cinema ou um presidente para preencher um papel importante no mundo. Ele pode ser um motorista de caminhão ou um fazendeiro ou qualquer outra coisa e cumprir sua missão. Eu só sabia que Elvis tinha uma missão a cumprir de um jeito ou de outro, que o Senhor parecia ter as mãos sobre ele.

Um escritor de um livro feio, fez falsos comentários sobre Elvis na TV e disse que nós, os  Presley's, não éramos nada, que éramos um lixo branco e pobre. Bem, eu quero responder isso aqui, porque o seu comentário irritou todo o estado do Mississippi.

Nós éramos pobres, e eu nunca vou negar isso. Mas lixo, nós não somos. Por uma questão de fato, eu não sei em que sentido de "lixo" ele disse. Houve momentos em que não tínhamos nada para comer, apenas pão de milho e água. Mas sempre tínhamos compaixão pelas outras pessoas que estavam piores do que nós. Quando nós crescemos financeiramente, nunca tivemos qualquer preconceito com os mais pobres. Nós nunca rebaixamos ninguém E nem Elvis.

Quando Elvis chegou na adolescência, mudamos para Memphis. Elvis pode ter odiado sair e deixar seus amigos de Mississippi, mas se ele sentiu isso, não disse nada para mim. Ele era um bom filho.


Gladys e eu confiávamos nele tão completamente que iríamos para o cinema e deixávamos ele com os amigos numa festa enquanto estávamos fora. Sei que havia algo para beber como cerveja. Mas para dizer a verdade, Elvis nunca foi de beber muito. Embora, uma vez ele bebeu conhaque de pêssego. Ele pegou uma garrafa e sabia muito bem que passou dos limites . Mas ele nunca foi de beber demais. 
Quando Elvis estava na escola, continuamos a ser uma família muito próxima. Ele não passava uma noite longe de casa , até que completou 17 anos de idade. 

No ensino médio, Elvis conheceu uma garota chamada Dixie Locke e disse que estava apaixonado. Gladys e eu pensamos que talvez eles iriam se casar, porque Dixie era uma menina muito boa e  simpática, e Elvis pensava muito nela. Mas o namoro não deu certo. 

O tempo foi passando e Elvis foi ficando mais velho, e eu não tinha idéia do que Elvis estava planejando fazer com seu futuro. Ele não estava muito certo do que queria fazer. Me lembro que  logo depois que ele se formou no colegial, eu entrei em seu quarto e o encontrei deitado em sua cama. "Filho", eu lhe perguntei: "O que você quer fazer agora? Você quer ir para a  faculdade? Porque, se você quiser fazer, nós damos um jeito de enviar-lhe. Você quer trabalhar? O que você quer fazer?"
Elvis me disse mais tarde, que essas perguntas o assustaram muito, porque o trouxe para a  realidade de que ele tinha que tomar uma decisão.
Então ele me disse: "Papai, eu quero ser um cantor. Quero cantar em um quarteto de gospel".
"Você faz o que quiser," eu disse, "e nós vamos ajudá-lo em tudo que pudermos."

Foi em 1954, que Elvis decidiu dar a sua mãe um disco de presente. Ele foi para a 'Sun Records' e gravou duas canções: "My Happiness" e "That's When Your Heartaches Begin".

Tinha um quarteto gospel começando nessa época e um dos campanheiros o chamou e Elvis fez o teste. Mas eles não gostaram da voz dele. Disseram que ele não cantava bem. Mais tarde, depois que ele gravou vários discos registrados na Sun e ele estava indo muito bem, Elvis chegou para mim e disse: "Papai, você sabe o quarteto musical? Eles querem que eu me junte a eles agora." Minha resposta para isso foi: "P'ro inferno o quarteto! Estou indo bem com o que estou fazendo, e eu não quero mudar."


Os discos de Elvis tinham se transformado em sucessos regionais. Ele tinha um empresário, Bob Neal, que tinha arranjado algumas turnês para ele em todo o sul. Quando chegou de uma dessas viagens, ele disse ter conhecido um grande homem, que ele era muito inteligente. Ele estava falando sobre o coronel Tom Parker.

Elvis parecia estar interessado no coronel como empresário. Gladys e eu avisamos a ele que nós realmente não sabíamos nada sobre aquele homem e, de qualquer maneira, ele tinha um acordo com Bob Neal.

No entanto, na próxima vez que Elvis chegou em casa de uma viagem, ele nos disse que queria que o coronel o empresariasse e que ele queria nos encontrar.

Como Elvis ainda era menor de idade, sua mãe e eu tivemos que assinar seus contratos, por isso fomos para 'Little Rock', onde Elvis estava fazendo um show, para encontrar o coronel. Esto foi em 1955. Ele parecia um homem inteligente, mas ainda não sabíamos muito sobre ele, para assinar. Um pouco mais tarde, encontramos o coronel novamente em Memphis e desta vez ele trouxe uma testemunha de caráter, o cantor 'Hank Snow', eu acho. Elvis estava tão determinado a ir com o coronel, que comprou seu contrato com Bob Neal.

O sucesso do meu filho veio de repente. Seu sucesso 'Baby Let's Play House' estava entre as 10 músicas nas paradas nacionais do país. Então, mais tarde, em 1955, a RCA comprou o contrato de Elvis na Sun Records e deu a Elvis um bônus.

Ele começou a fazer aparições com Tommy e Jimmy Dorsey, Milton Berle e assim por diante. Mas foi sua aparição na TV no ''The Ed Sullivan Show', que atraiu mais atenção. E depois ele já estava a caminho de Hollywood. Como a maioria das pessoas no Mississippi e Tennessee, minha esposa e eu tínhamos ouvido histórias muito estranhas sobre Hollywood. Mas quando Elvis foi convidado para ir lá fazer seu primeiro filme, não ficamos preocupados, apenas orgulhosos e felizes, porque ele estava começando a fazer o que ele queria.

Logo depois, quando uma verdadeira estrela, Natalie Wood, veio a Memphis para visitar-nos, minha esposa a tratou tão naturalmente como se ela fosse uma das amigas escolares de Elvis. Natalie era uma menina jovem na época, apenas 16 anos, e uma garota muito legal, não era esnobe nem metida.
 

Elvis quase nunca assistia seus filmes. Porque na verdade ele não gostava da maioria dos filmes que ele fazia. Lhe pagavam 1 milhão, ele era muito bem pago pelo seu trabalho. Ele nunca teve controle e autoridade sobre as canções que era obrigado a cantar nos filmes e sobre qualquer outra coisa. 
Um dia ele foi convidado para contracenar com a atriz e cantora Barbra Streisand no filme  'A Star Is Born'. Mas ele não fez o filme. Até hoje não sei por quê.

Recentemente, Elvis tinha pensado em entrar numa produção, que ele pudesse estrelar num filme  que ele realmente gostasse. Ele tinha ido tão longe a ponto de começar a trabalhar em um script.
Elvis aprendeu a não dar muita atenção às críticas ou às mentiras que circulavam sobre ele. Ele não estava nem preocupado com o livro que três de seus ex-guarda-costas escreveram recentemente. Ele apenas se machucou, porque ele estava surpreso de velhos amigos se voltarem contra ele daquela forma.

Os ataques brutais levantados contra ele por algum tipo crítico o perturbava muito. Mas, durante seus 22 anos no centro das atenções, ele aprendeu a não dá ouvidos. Elvis sempre disse, "a verdade prevalecerá".

Ele nunca esqueceu a filosofia expressa  ''
The Penalty of Leadership' by Theodore McManus.
Que diz assim::

    "Em todos os campos da atividade humana, tem que se  viver perpetuamente na luz branca da publicidade. Quer na liderança a ser atribuída a um homem ou de um produto fabricado de emulação, a  inveja está sempre no trabalho, na arte, na literatura, na música, na indústria, a recompensa e a punição são exatamente os mesmos. A recompensa é o reconhecimento generalizado; a punição é a negação feroz e a maledicência ....

    "Não há nada de novo nisso. É tão antigo quanto o mundo e tão antigo quanto as paixões humanas: a inveja, o medo, a ganância, a ambição e o desejo de superar.
    "Tudo isso não vale a pena ....
    "Aquilo que é bom ou ótimo se dá a conhecer, não importa o quão alto o clamor de negação".

Ele ainda era capaz de minimizá-la, quando, durante os últimos anos de sua vida, ele ouviu rumores de que ele usuava cocaína. Elvis usava medicação de vários tipos, mas tudo foi prescrito por um médico.

Por um tempo, ele tomou pílulas para dieta, mas ele as abandonou há três anos, porque ele estava com medo delas. Depois disso, quando ele queria perder peso, ele reduzia sua alimentação. Na verdade, ele tinha jejuado para as últimas 24 horas de sua vida.

Ele tomava comprimidos para dormir, porque ele sentiu que precisava de oito a 10 horas de sono para um bom desempenho no palco. Não muito tempo antes de morrer, ele havia feito um exame completo. Os médicos descobriram que ele tinha problemas no fígado, cólon e um problema de pressão arterial elevada o que me preocupava mais do que o resto. Elvis tomava remédios prescritos para a pressão sanguínea e pode ter tomado um analgésico ocasional.


  ["Observação do editor: Con
firmando o que o Sr. Presley disse: - O relatório da autópsia final mostrou a presença de alguns dos I0 medicamentos prescritos, incluindo Demerol, Valium, um anti-histamínico e codeína, na corrente sanguínea de Elvis. As drogas estavam todas dentro dos níveis estabelecidos. Não havia nenhum traço de drogas ilegais. A causa da morte de Elvis foi atribuída a 'doença cardíaca hipertensiva', com 'doença cardíaca coronária' como um fator contribuinte."]

Porque ele era basicamente uma pessoa da noite, ele não conseguia ir lá  fora durante o dia, e eu pensava que ele deveria, então eu costumava falar com ele sobre isso, e dizia para ele tomar mais sol. Então, ele fazia isso, sentava à beira da piscina às vezes. Mas ele preferia ficar acordado até tarde da noite e dormir durante todo o dia.

Tenho certeza que ele não tomava drogas ilegais, drogas pesadas, por várias razões. Em primeiro lugar, ele tinha visto o que as drogas tinham feito para as pessoas que ele tinha conhecido e ele não queria acabar assim. Além disso, por causa de sua filha Lisa, ele não teria tomado de tais drogas.

Por outro lado, a história de que Elvis baleou a  TV é verdade. Mas ele estava em sua própria casa, e atirou no seu próprio aparelho de TV e, quando ele tinha feito isso, ele poderia dar ao luxo de comprar um novo. Aposto que não há uma pessoa que por muitas vezes, se sentiu tão frustrado olhando para algum programa de TV, que não encontrava nada de que gostasse para assistir e sentiu vontade  de jogar seu sapato ou  mesmo dá um tiro ou algo assim.

Elvis tinha licença de porte de armas. Eu via ele brincar, fingindo que ia atirar para assustar alguém, mas ele não era louco ao ponto de fazer isso.

O motivo de Elvis trazer consigo um arma, foi exatamente para prevenir algum perigo que ele muitas vezes teve que passar. O mais assustador, foi no início de sua carreira, em Jacksonville, Flórida. Ele tinha se apresentado em um caminhão e, quando ele tentou chegar ao seu trailer-camarim, a multidão simplesmente veio em cima dele. Fãs invadiram seu trailer e foi tão difícil que ele tentou voltar para o palco. Mas, de novo, a multidão veio p'ra cima dele, rasgando-o até que ele ficou sem nada, exceto com suas calças. Ele estava cheio de sangue, arranhões em seus braços, sua camisa tinha sido puxada. Eu nunca tinha visto nada como aquilo antes. Eu pensei que Elvis ia morrer. A multidão de fãs era enorme, como uma multidão de linchadores.


Elvis, então teve o seu pior susto alguns anos mais tarde, no Las Vegas Hilton. Recebemos um telefonema de Los Angeles dizendo que um homem estava a caminho para matá-lo no palco. O interlocutor disse que se dessem a ele US $ 50.000 nos contaria quem era o homem e como interceptá-lo.

O FBI levou a ameaça muito a sério. Eu fiquei assustado, por isso pedi aos agentes para dizer ao interlocutor que iríamos pagar. Mas de alguma forma o contato se rompeu, e na noite de estreia de Elvis, nós pensamos que um assassino poderia realmente estar na plateia. O hotel pediu a  Elvis para não ir, e eu também.  Não há como negar que ele estava com medo, mas ele insistiu em fazer o show, e o resto do trabalho. E, como você sabe, nada aconteceu.

Recebíamos ameaças de sequestro de vez em quando, mas não nos preocupava muito, pois achávamos que um sequestrador não teria a incompetência de avisar a sua vítima do que ele estava planejando fazer.

Muito tem sido escrito sobre romances de Elvis. Naturalmente, eu não sei tudo o que se passou entre Elvis e as várias meninas que passaram em sua vida. Eu dava conselhos quando ele pedia. Eu sempre estava lá quando ele precisava de mim. Mas eu não me intrometia.

No entanto, eu sei que ele era um homem que gostava de mulheres e que sempre precisava de uma especial com quem ele pudesse compartilhar coisas. Eu acho que ele era como a maioria das pessoas que precisava amar e ser amado.
Ele namorou muitas meninas em Los Angeles, Memphis e em outros lugares e levou a sério várias delas. Em um período, parecia que ele e Anita Wood iam se casar, porque quando duas pessoas namoram por seis anos, você suspeita que eles têm algo sério em mente. E ele também gostava da Barbara Heam, uma menina muito bonita também.

Sua mãe e eu não influenciávamos nas escolhas das namoradas de Elvis, assim como não influenciamos em sua escolha de carreira. Nós não nos importávamos com quem ele se casasse, apenas que ele fosse feliz.

Gladys faleceu antes do exército enviar Elvis para a Alemanha, onde conheceu Priscilla Beaulieu. Eu me casei novamente quando meu filho convidou Priscilla para vir a Memphis para terminar o ensino médio, por isso ela ficou comigo e com minha segunda esposa Dee.

Sendo filha de um oficial da Força Aérea, Priscilla tinha sido educada para ser disciplinada e de forte personalidade, mas ela também era uma menina amorosa. Eu acredito que o casamento de Elvis com ela não deu certo, porque ele percebeu que após o casamento, ele realmente não queria se casar. Quando ele estava viajando, não era fácil  para Priscila ir junto e ficar o tempo todo com ele, especialmente depois que Lisa nasceu. Essas separações colocaram uma pressão sobre o seu relacionamento.

Quero enfatizar que, embora o casamento tenha acabado, Elvis era louco por sua menina Lisa e ela adorava o pai. Quando Lisa não estava na escola e ele não estava na estrada e estava em  Memphis, eles brincavam juntos em sua casa, (Graceland) por horas.

Vernon, Lisa e Linda Thompson
Um monte de pessoas têm perguntado sobre as meninas que compartilharam os anos finais da vida de Elvis. De todos elas, acho que Linda Thompson foi a melhor para ele. Ela estava sempre com ele, cuidando dele. Embora eu não saiba o motivo deles se separarem. Pode ter sido, que uma das razões, Elvis sentiu que seu amor estava começando a sufocá-lo. 

Sheila Ryan era outra menina. Eu não sei por que ela deixou de ver Elvis e começou a sair com outro, eu fiquei surpreso quando ela se casou com outra pessoa.

Nunca cheguei a saber muito bem sobre Ginger Alden. Ela não era de falar muito, mas algum tempo atrás Elvis me disse que tinha se apaixonado por ela. "Este é o amor que eu estive procurando", disse ele. "Eu quero mais filhos. Eu quero Ginger para ser a mãe dos meus filhos."

Depois disso, Ginger e Elvis vieram me mostrar o anel de noivado. Essa foi uma das poucas vezes que eu o vi sorrindo. Presumi que eles iam se casar, mas não aconteceu nada e sempre que eu tentava falar com Elvis sobre Ginger, ele parecia chateado.

Finalmente, apenas um ou dois dias antes dele morrer, eu lhe disse: "Eu continuo ouvindo e lendo que você vai anunciar seu noivado. Está certo? Quando você vai se casar?"
"Só Deus sabe", disse Elvis.

Eu tenho um sentimento. Eu acho que talvez ele estivesse mudando de ideia sobre o casamento.

O fato de que nem a Priscila nem Ginger foram mencionadas no testamento de Elvis. Quero salientar que Ginger já tinha obtido a sua quota de presentes de Elvis.
Quanto a Priscila, ela não esperava ser mencionada, porque Elvis tinha feito a sua negociação com ela quando eles se divorciaram.

As histórias têm deturpado os detalhes da vida privada de Elvis em todos os sentidos possíveis. Qualquer que fosse a sua vida privada ou pudesse ter sido, nenhum de seus funcionários, amigos ou colegas, ficaram sem qualquer coisa que queriam ou precisassem - seja Cadillacs ou anéis de diamantes e peles para suas esposas.

Elvis presenteava generosamente porque era de sua natureza ser generoso. Ele queria dividir sua fortuna com todo mundo que estava perto dele.

Me lembro quando eu senti que ele estava transportando uma tripulação muito grande, então eu o aconselhei:: "Você não precisa de todos eles, especialmente alguns que apenas parecem ser o que eles querem." Elvis me parou frio, respondendo: "Você vê os seus desejos. Eu olho além de suas necessidades e posso ver as suas necessidades."

Embora Elvis nunca se escondeu como erroneamente relatado, ele gostava de privacidade, assim como todos nós, de modo que ele gastava seu tempo em seu quarto, lendo ou conversando com um ou dois bons amigos. Passei alguns dos momentos mais felizes da minha vida sentado e conversando com Elvis.

Poucos dias antes de Elvis morrer, nós conversamos em Graceland por cinco ou seis horas sobre todos os tipos de coisas até que eu finalmente disse: "Filho, eu tenho que ir para casa e comer alguma coisa."
"Eu sei, papai," Elvis me disse. "Mas eu quero que você saiba que eu realmente gostei disso." 

Há tantas perguntas não respondidas sobre a morte de Elvis para o qual tenho de encontrar respostas. Quanto tempo ele ficou deitado no chão antes que seu corpo fosse encontrado? Por que não havia alguém em Graceland perguntando onde ele estava e se estava tudo certo? Essas são duas das perguntas que eu não encontro respostas.

Eu sei que ele não tinha conseguido dormir a noite antes de morrer e tinha jogado ráquette até às quatro ou cinco horas da manhã. Então o que aconteceu? Eu quero saber!

Joe Esposito, um dos amigos e tripulantes de Elvis, estava comigo no escritório, quando ele recebeu um telefonema de casa e me disse que tinha que ir até lá imediatamente. Eu continuei com o trabalho até que o telefone tocou de novo e Patsy, nossa secretária, atendeu.
"É Joe", disse ela. "Ele está estranho '
Peguei o telefone e Joe me disse: "Sr. Presley, venha rápido. Elvis não está respirando."
Eu não estava me sentindo bem durante algum tempo e naquele momento Patsy teve que me ajudar a ir em casa. Assim que eu vi Elvis, soube imediatamente que ele havia partido..

As coisas que aconteceram depois que são difíceis de colocar em perspectiva. Alguns eram tão inacreditáveis e eu estava tão triste que eu mal conseguia entender o que estava acontecendo. Por exemplo, eu não prestei atenção na segurança. Eu nunca pensei que um dos primos do próprio Elvis iria tirar uma foto dele em seu caixão e vendê-lo para um jornal sensacionalista. Nem, quando eu conheci Caroline Kennedy, que eu acho que ela veio para o funeral para fazer uma reportagem. Na verdade, quando fomos apresentados, eu não sabia quem ela era.

Eu estava com minha mãe e irmã quando Priscilla entrou com alguém que ela apresentou como Caroline Kennedy. Eu não identifiquei a filha de Kennedy, até que ela foi embora. Então eu ouvi alguém dizer: "Essa era filha do presidente Kennedy", e eu pensei, "Ela vai pensar que eu sou louco por não saber quem ela é."

Então eu saí e encontrei-a e disse-lhe que tivemos a honra de tê-la ali e que era bem-vinda em  Graceland.

Mais tarde, Priscila me disse que Caroline queria ver o quarto de troféu de Elvis. Eu disse que eu não poderia mostrar a ela agora, mas que se ela ficasse até o dia depois do funeral, eu faria isso. Tanto quanto eu sei, Caroline não ficou.

Eu estava atordoado com o choque, eu não tinha como reconhecer algumas pessoas no funeral. Ann-Margret e eu nos abraçamos e choramos juntos, mas eu nem sequer vi seu marido, Roger Smith, que estava por perto.

Durante os 22 anos de carreira de Elvis, o Coronel Parker  cuidava de toda parte dos shows business de sua carreira, enquanto eu lidava com os 'assuntos pessoais de Elvis'. Agora que ele se foi, vou continuar cuidando de seus negócios até que tudo esteja muito bem resolvido. "Eu posso mudar para Graceland agora porque minha mãe e irmã viveram ali muitos anos e precisam de alguém com elas. Além disso, pode ser mais fácil para mim lidar com negócios inacabados de Elvis em Graceland do que da minha casa atual.

Recebemos a permissão da cidade de Memphis para mover o corpo de Elvis para Graceland, onde a segurança é mais fácil de ser mantida. Eu também trouxe a mãe dele. Se possível, também o irmão de Elvis, Jesse, que está em Mississippi,  para ficar ao lado deles. Elvis às vezes falava em trazer o corpo de seu irmão gêmeo para Memphis e eu posso ir em frente com seu plano.

Volto a dizer o que eu disse no início desta história, estou de coração partido mais do que eu posso expressar sobre a morte de Elvis, mas eu estou confortado pelo reconhecimento e tenho certeza de que meu filho foi um presente de Deus e que sua vida foi sempre guiada pelas mãos D'ele. Eu teria desejado que ele vivesse para sempre, mas sei que sua morte prematura, como tudo em sua vida, era uma parte do plano de Deus.
Eu agradeço a Deus que Ele me abençoou com um filho.



* Minha observação: "Eu me emocionei muito lendo e montando essa reportagem com Vernon Presley, um dos responsáveis pelo nascimento de nosso ídolo 'Elvis Presley'. Senti dentro do meu coração, o quanto esse 'pai' amou seu filho, esteve ao lado e fez tudo o que pode para vê-lo feliz e satisfeito. Concluí, que Elvis teve uma família muito abençoada, e não só ele foi um presente para os seus pais, como os seus pais foram um presente para ele. Elvis teve a família que realmente mereceu. E foi um excelente ser humano, de coração generoso e bom, graças ao amor, a educação e dedicação de seus pais: Vernon e Gladys." (Simone Fernandes)



Fonte da entrevista original em inglês, autorizado pelo mesmo: Elvis Information Netwok
Adaptação e tradução de texto: Simone Fernandes 



Licença Creative Commons
Elvis Presley Rei do Rock de Simone Fernandes é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em http://elvispresleyreidorock.blogspot.com/.

24 comentários:

  1. Incrível, quando tu começou a gostar de Elvis? Como você o conheceu ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tacianna, obrigada pela sua visita!
      Eu gosto de Elvis desde os meus 14 anos. Eu o conheci através da minha mãe que também gosta dele.

      Um beijão no ♥

      Excluir
  2. Es increíble todo el material que publicas mi querida Simone, te felicito!
    Nunca había leído tanto sobre Elvis, pero me parece fascinante.
    Te dejo un abrazo.
    Te deseo un hermoso fin de semana, con todo cariño!
    ......... , . - . - , _ , ....... ..
    ......... ) ` - . .> ' `( .......
    ........ / . . . .`.. . . .. ........
    ........ |. . . . . |. . .| .........
    ......... .. . . . ./ . ./ ...........
    ........... `=(.. /.=` ...........
    ............. `-;`.-' .............
    ............... `)| ... , .........
    ................. || _.-'| ..........
    ............. , _|| .._, / .........
    ....... , ..... ..|| .' ..............
    .... |.. |.. , . ||/ ...............
    , ....` | /|., |Y.., ...........
    ... '-...'-._....||/ ..............
    ........ >_.-`Y| ...............
    ............. , _|| ..............
    ............... ..|| ..............
    ................. || ..............
    ................. || ..............
    ................. |/ ..............
    ...................................
    Cristina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristina, muchisimas gracias!
      Me alegro que te gustes todo lo que escribo sobre Elvis.

      Un beso my fuerte y un fin de semana muy feliz <3

      Excluir
  3. Mto boa essa entrevista com o Vernon! Me emocionei bastante, com certeza Elvis teve pais q o amaram mto.
    Obgdo pela postagem Simone.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço a visita!
      Abraços :)

      Excluir
    2. Gostei do blog, sou fã, desde criança .

      Excluir
    3. Obrigada, volte sempre!
      Abraços :)

      Excluir
  4. Muito lindo seu Blog! Saiba que eu também admiro e amo Elvis. Pra mim ele nunca morreu, porque está vivo dentro do meu coração, nas suas canções lindas, sua voz que emociona...
    Um abraço!

    Aninha Porto Alegre/RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aninha pela visita!!
      Um beijo grande :)

      Excluir
  5. Olá Simone:
    Uma das histórias mais extraordinárias que eu já li em toda a minha vida sobre o querido Elvis, foi essa linda entrevista do Sr. Vernon Presley em Jan.1978 e publicada em seu blog em Fev.2013. Eu conheço todos os filmes dele como ator e outros mais, produzidos para homenageá-lo, ou contar a sua vida, como "Elvis and Me", da sua ex-esposa Priscilla Presley, ou ainda, "Elvis e a Rainha da Beleza" ( sobre a Linda Thompson) e um último, contracenado por sua última namorada, Ginger e que conta a sua história em um roteiro livre! Eu vejo tudo e qualquer coisa relacionada ao Elvis; eu o amo muito, muito .. e, de algum modo, acompanhei um pouco a sua carreira. Eu era uma garotinha pequena quando ele "explodiu" para o mundo (digamos assim..), mas os meus pais já "curtiam" ele, então eu cresci ouvindo os seus sucessos musicais, assistindo aos seus filmes e encantando-me com a sua linda voz, suas performances, seu lindo sorriso e olhar fulminante, sua beleza, sexualidade, meiguice, enfim.., ele era completo! Um furacão, um fenômeno intangível. Ele era maior que a vida, muito além da alma e nao pertencia a esse mundo, embora vivesse nele! Por isso ele se foi .. tão precocemente! Um mito, que deixou o seu legado imortalizado ou perpetuado por todo o sempre!! Eu diria que graças ao Elvis e a Janis Joplin, hoje eu sou uma mulher rocker, que também ama o Blues e o Jazz; até os confins da terra, até o meu último dia aqui .. no mundo terreno!
    Obrigada por postar essa belíssima entrevista sobre esse incrível homem! Fiquei muito emocionada, principalmente por se tratar de uma entevista de alguém tão próximo a ele, o seu querido pai e amigo!
    Hoje, 08 de Jan de 2014, ele estaria completando 79 anos!
    R.I.P. Sweet Elvis! Um dia a gente se encontra lá do outro lado!
    Amor sempre, além da alma, my baby!

    Thanks again Simone! Deus a abençoe por esse lindo post! Beijão <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria de Lourdes, que comentário lindo!!
      É sempre muito gratificante para mim receber visitas e comentários assim como o teu querida. É como se Elvis falasse comigo através dos fãs.
      Eu também cresci escutando Elvis, pois minha mãe já gostava e me contava sobre seus filmes e performances em palco. Mas ela não é tão fã como eu rsrs E isso é engraçado porque ela curtiu os anos em que Elvis estava aqui entre nós.
      Elvis com certeza era um ser muito especial mesmo e como você mesmo disse, não pertencia a este mundo, mesmo vivendo nele. Mas onde quer que ele esteja agora está vendo, recebendo e sentindo todo esse amor que temos por ele.

      Muito obrigada pela sua visita!
      Fiquei muito feliz mesmo.

      Um beijo grande ♥

      Excluir
    2. Querida Simone, obrigada também por seu carinho flor! Meus olhos lacrimejaram com as suas palavras, e tudo que você posta aqui e no G+, sobre o nosso Baby. Aos poucos verei os seus posts .. (aqui e lá..), e haja emoção! Sou "manteiga derretida" e choro a toa quando vejo algo sobre ele, até mesmo uma simples foto! Igualmente à Janis, meu outro baby .. rs rs.
      Não sei se vc tem e gosta de Facebook, eu tenho um grupo de blues (Forever Blues) e o meu endereço é: https://www.facebook.com/groups/songblues/
      No Face estou como Lu Janis (https://www.facebook.com/LuJanis)

      Até mais e estarei sempre por perto, se precisar falar sobre o amado Elvis! Me notifique, para que eu leia os posts, ok?

      Um beijão grande <3

      Excluir
    3. Pode deixar Maria que te aviso quando eu postar coisas novas sobre o Elvis.
      Um beijão e obrigada pelo carinho :)

      Excluir
  6. GOSTEI MUITO DESTA ENTREVISTA DO PAI DE ELVIS, ELVIS VAI ESTAR SEMPRE EM NOSSOS CORAÇÕES, GOSTO DO ELVIS EM TUDO, PRA MIM, ELE FOI O HOMEM MAIS LINDO EM MATÉRIA DE BELEZA MESMO QUE NASCEU, LINDISSIMO!! DENTES, ROSTO, CABELO... SEM CONTAR O SER HUMANO E O CANTOR QUE ELE FOI. LI QUE O PAI DE ELVIS FALECEU 2 ANOS DEPOIS DE ELVIS, E VI UM VIDEO NO YOUTUBE DO SR VERNON POUCO TEMPO DEPOIS DA MORTE DO ELVIS E ELE ESTAVA BASTANTE ACABADINHO, ELE DEVE TER MORRIDO JUNTO COM O ELVIS E Ñ AGUENTOU FICAR SEM O FILHO. ABÇS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigada pela sua visita e comentário!
      Fico feliz que tenha gostado da entrevista. Ela realmente é muito especial. Afinal, é o pai de Elvis Presley contando um pouco sobre o seu filho tão amado.
      Eu também acho que Vernon não suportou viver sem o Elvis e logo ficou doente nos deixando também. O amor de Elvis pelos pais e dos pais por ele, é algo muito lindo e nos emociona muito.

      Um beijo grande e volte sempre :)

      Excluir
  7. Olá Simone. Gostaria de perguntar algo, me disseram que existe uma entrevista do Vernon como esta em vídeo pós morte de Elvis. Você saberia me dizer se realmente existe? A propósito, adorei a entrevista, eu a procurei por anos queria muito mais material sobre Vernon. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Charles, obrigada pela sua visita e fico feliz que tenha gostado do blog. O que eu sei, é que existe um depoimento de Vernon no último especial de Elvis em TV 'Elvis In Concert' de 1977, que Elvis nem chegou a assistir quando transmitido, devido sua morte. Mas é muito difícil de encontrar por aí. De repente vc encontra no youtube.
      Um beijão :)

      Excluir
  8. Olá Simone boa noite...., por incrível q pareça uns dos melhores presentes que a "VIDA" me deu (além do meu filho), foi a oportunidade de ter acesso a internet e através dela poder ouvir e ver meu IDOLO. Aos 60 anos e muito caseira tenho como passatempo vir até aqui todos os finais de semana e ver aquele que pra mim sem dúvida foi e é o maior cantor e showman que o mundo conheceu. Essa reportagem é emocionante, um depoimento sincero de alguém que não precisa se promover através da mídia. Obrigada por compartilhar, vou te curtir a partir de agora. Td de bom pra VC, abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Maria pela sua visita e comentário!
      Realmente a internet nos facilita muito em questões assim. Eu mesma descobri muitas coisas sobre Elvis através da internet. E não sei se hoje eu viveria sem ela rs
      Fico muito feliz que tenha gostado do blog. Volte sempre que quiser!!
      Um beijo grande :)

      Excluir
  9. Oi também amo o elvis muito mais aconteceu através dos meus pais ...pois na epoca eu não era nascida mais eu cresci com minha mãe e meu pai falando dele escutando suas musicas e assistindo seus filmes muito emocionante a entrevista do vernon e eu quase chorei ....a historia desse homem generoso,humano que se preocupava em sempre dar o melhor de si as pessoas ... que foi um bom filho pai e que apesar de seu casamento com priscilla não ter dado certo e os dois terem machucado ambos nessa relação ...acho não tenho certeza que elvis ainda amava priscilla e se sentia culpado pelo fracasso de seu casamento e priscilla também achei legal de apesar de divorciados eles se tornaram amigos um ajudando o outro e se comprometendo na criação da pequena lisa sobre seus ultimos relacionamentos linda thompson e ginger alden ... não gosto muito delas eu acho que o verdadeiro amor do elvis e o grande foi a cilla apesar de não ter dado certo eles ainda se amavam eu acabei de ler o livro elvis and me e vi o filme chorei com o fim eu sabia que terminaria assim mais e muito triste a situação que elvis se encontrou perdeu a esposa... que o deixou por não suportar a distancia e tambem porque ela se envolveu com o intrutor e amigo de elvis cilla ainda amava o elvis mais por algum motivo a mais além desses ela resolveu se separar pelo menos eles ficaram amigos pela filha mais ele terminou sozinho nem mais os palcos que no inicio era sua paixão importava o filme tambem mostrou que elvis reconheceu a sua falha no casamento quando ele disse eu não percebi a mulher que tinha até perder agora eu sei a mulher que perdi... ele ainda amava a cilla e indo mais além acho que ele tinha esperanças de voltar com a cilla e uma historia de amor linda que termina trágica e muito triste o elvis morreu tão novo e nos perdermos não só o astro do rock como perdemos o ser humano o homem ..que começou a cantar muito novo seu maior sonho era ser conhecido ele se tornou uma lenda e que voz , tão lindo , um sorriso encantador e ao mesmo tempo muito sexy ele tinha um charme uma beleza...e suas musicas jamais serão esquecidas seu legado...e os fãs de uma antiga geração e uma nova o amam muito obrigado elvis por nós emocionar com seu talento com suas musicas lindas e por ter feito parte de nossas vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Kamila pela sua vista. Fico feliz que tenha gostado do blog. Volte sempre que quiser.
      Beijão :)

      Excluir

Obrigada pela visita e comentário!

*Simone Fernandes*