"Este blog é administrado por Simone Fernandes e não tem nenhum vínculo com fã-clubes do cantor. É somente uma forma de homenagear este grande artista, compartilhando suas histórias, respeitando seu legado, família, amigos e os milhares de fãs que existem no mundo todo."



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

26/05/2013

ELVIS ANOS 70

Após seu retorno triunfal em 1969 nos palcos de Las Vegas. No ano posterior, seu sucesso já era garantido, não só como um cantor, mas também sua performance artística já era considerada permanente.  Suas primeiras incursões por Vegas já haviam estabelecidas bases para constantes turnês que se tornariam seu principal meio de produção artística.

Elvis decidiu fazer uma mudança em seu repertório de hits.  Trocou 'Teddy Bear' e 'Love Me' por 'Jailhouse Rock' e 'Heartbreak Hotel'. Ignorou seu material de década de 60, à parte de 'Are You Lonesome Tonight?' e 'I Can't Help Falling In Love'. Algumas canções de sucesso da decada de 50' como 'All Shook Up', Elvis cantava por necessidade só para agradar ao público.
Uma das canções que se tornaram uma espécie de obra-prima de seus espetáculos era a eletrizante 'Polk Salad Annie' e 'Suspicious Minds' que levava o público ao delírio com seus movimentos sensuais.
O figurino dele também sofreu modificações, ganhando um visual mais detalhado. Em vez de trajes de duas peças, Bill Bellew começou a desenhar macacões. Assim Elvis podia se movimentar livremente no palco, sem a preocupação da camisa sair da calça. Os macacões se tornaram símbolo de Elvis, muito mais que seus blazers e sapatos de camurça azul da década de 50'. Com o passar dos anos, seus macacões (jumpsuits), começaram a ser cada vez mais sofisticados e com muito brilho, a estilo do próprio Elvis.
Os ensaios começaram a ser em Vegas em 19 de janeiro. Em 26 do mesmo mês, nessa primeira temporada de 1970, Elvis estreou com um único show, continuando depois com duas apresentações por noite até 23 de fevereiro. A noite de estreia reuniu um habitual rol de celebridades como: Zsa Zsa Gabor, George Chakiris e a coadjuvante de Elvis em 'Saudades de um Pracinha' - G.I Blues de 1960, Juliet Prowse. Fora os telegramas de 'boa sorte' que recebeu, um deles o produtor do filme 'Hal Wallis'. Dean Martin, um de seus cantores favoritos, também estavam naquela noite.  Para não haver repetições de canções em suas apresentações, Elvis acrescentou a seu repertório 'Release Me' e 'The Wonder Of You'.

Após dois meses foi lançado no mercado o álbum 'On Stage', com músicas ao vivo da segunda temporada de Elvis em Las Vegas. O álbum é interessante porque Elvis não havia gravado em estúdio essas canções. No álbum foram acrescentadas duas canções da temporada de 1969, em Vegas que não foram lançadas.
As canções do álbum são:
*See See Rider; *Release Me; *Sweet Caroline; *Runaway (do show de 25 de agosto de 1969); *The Wonder Of You; *Polk Salad Annie; *Yesterday (também do show do dia 25/8/1969, sem a 'Hey Jude'); *Pround Mary; *Walk A Mile In My Shoes e *Let It Be Me.

Fonte de pesquisa: Livro - O Retorno do Rei - A Grande Volta de Elvis Presley (Gillian G. Gaar)
Adaptação de texto: Simone Fernandes.


Licença Creative Commons
Elvis Presley Rei do Rock de Simone Fernandes é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em http://elvispresleyreidorock.blogspot.com/.

4 comentários:

  1. Grande Simone ! Altro grande post!

    ResponderExcluir
  2. Olá Simone.
    A fase anos 70 dele é uma fase que eu conheço bem viu? Pois foi a primeira que eu conheci através dos primeiros discos dele que tive. Eu diria que a fase dos anos 70 é tudo o que a de 50 não teve estrutura pra ser, e tudo que a fase dos anos 60 almejava ser. Elvis com uma super banda no palco, mais uma orquestra, uma escolha minuciosa de repertório, arranjos trabalhados. Peguemos assim: nos anos 50 Elvis junto com Sam Phillips e depois com Steve Sholes na RCA ainda estavam descobrindo como gravar Elvis. Nos anos 60 ele (refém em Hollywood, não tinha outra alternativa a não ser gravar as trilhas dos filmes). Porém nos anos 70, ninguém o segurou, nem o sanguessuga do Coronel. Como disse o amigo e biógrafo Jerry Hopkins:
    "Nos anos 50 Elvis desafiou o sistema, nos anos 60 Elvis foi cooptado pelo sistema, nos anos 70 Elvis Era O Sistema!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa essa frase final. Eu já havia lido em algum lugar e expressa totalmente o que Elvis representou nessas fases.
      Amigo, muito obrigada pela sua visita e comentário maravilhoso.

      Um beijão no seu ♥

      Excluir

Obrigada pela visita e comentário!

*Simone Fernandes*