"Este blog é administrado por Simone Fernandes e não tem nenhum vínculo com fã-clubes do cantor. É somente uma forma de homenagear este grande artista, compartilhando suas histórias, respeitando seu legado, família, amigos e os milhares de fãs que existem no mundo todo."



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18/05/2013

ELVIS E SUAS GRAVAÇÕES NO SUN RECORDS - PARTE III


Em 19 de agosto de 1954, Elvis realiza outra sessão de gravação no Sun Studio, Memphis.
*Na guitarra -- Scotty Moore 
*Violão -- Elvis Presley 
*Baixo -- Bill Black
*Produtor/Engenheiro -- Sam Phillips

*Música: Blue Moon (Rodgers/Hart -- Robbins Music)

O pequeno studio se tornou o mundo de Elvis. Ali, ele encontrava companheirismo e buscava novas ideias. Neste dia (19/8) ele grava 'Blue Moon' de Rodgers e Hart. Elvis transforma a música do pop clássico de 32 compassos para um blues de 16 compassos. Numa mistura fascinante de estilos musicais.

-- 10 de setembro de 1954: Sun Studio, Memphis
*Guitarra: Scotty Moore
*Violão: Elvis Presley 
*Baixo: Bill Black
*Produtor/Engenheiro: Sam Phillips

*Músicas:
-- Tomorrow Night
-- Satisfied
-- I'll Never Let You Go (Little Darlin') ---- Lado B
-- Just Because
-- Good Rockin' Tonight --- Lado A
Para deixar Elvis à vontade e se ajustar ao ambiente do estúdio. Sam deixa Elvis escolher as canções que mais gostava: Baladas.  Ele escolhe e tenta a canção 'Tomorrow Night', de Lonnie Johnson, música que sempre cantava em casa. Mas esse não era o tipo de música que Sam esperava e queria que Elvis gravasse. Não que Elvis não a cantasse bem, mas Sam buscava um som novo, diferente do que já estava acostumado a ouvir de outros cantores como: Dean Martin, Perry Como, Doris Day, entre outros. E Elvis já o havia conquistado totalmente com seu estilo, paixão e voz. Mas ele queria explorá-lo mais e fazer com ele soltasse aquela 'fera' que ele sabia que existia dentro de Elvis, e que ainda estava 'tímida'. Sam não o impediu e o deixou gravar o que quisesse, já que Elvis precisava dessa liberdade para explorar e mergulhar no que lhe viesse à cabeça.
Elvis canta 'Just Because' composta em 1933, uma canção de sucesso em ritmo de polca por Frankie Yankovic em 1948. A banda trabalhou muito nessa  música que foi gravada em duas versões, lenta e rápida. Mas a gravação escolhida pela RCA para o álbum, foi a rápida.

Ainda sem achar uma música certa, com o ritmo certo. Eles voltam ao estilo de 'That's All Right' e jogam esse estilo e renovam com um rhythm and blues na canção escolhida 'Good Rockin' Tonigh', de Roy Borwn, e foi a escolha ideal para o segundo disco. 

Terminando a sessão, a fita com a gravação foi levada para ser prensada na Buster Williams's Plastic Products, que ficava na Chelsea Avenue. 'Good Rockin' Tonight' com 'I Don't If The Sun Don't Shine' formularam o novo compacto.

A banda se apresentou no programa 'Grand Ole Opry' e se saíram muito bem, porém, não convenceram a platéia e assim não voltaram a ser convidados. Sam então recorre ao programa de talentos country e western, o Louisiana Hayride de Shreveport, que era menos exigente e mais ousado.

-- Gravações ao vivo no The Louisiana Hayride
-- 16 de outubro de 1954: The Municipal Auditorium, Shreveport
*Violão: Scotty Moore 
*Violão: Elvis Presley
*Baixo: Bill Black

*Músicas:
-- That's all Right
-- Blue Moon Of Kentucky
Elvis deveria estar nervoso, mas sua interpretação confiante e perfeita não deixou transparecer. O público reagiu surpreso com a música e seu impacto estimulante da banda (com o nome de Blue Moon Boys) com receptividade. 

Frank Page pergunta a Elvis, com 19 anos, como eles criaram aquele novo estilo de cantar e Elvis respondeu: "Foi por acaso." Logo o gerente do Hayride, Horace Logan, oferece a Elvis um contrato. E no dia 6 de novembro, Elvis volta a se apresentar, levando os pais que precisavam a assinar o contrato, já que ele era menor de idade.

Com um contrato de 1 ano com o Hayride, Elvis e os companheiros de banda, abandonam seus atingos empregos e se dedicam agora à nova carreira em tempo integral.

Por um tempo Scotty Moore fez o papel de agente, mas Sam Phillips sabia que era necessário uma apresentação mais profissional. Assim, logo Bob Neal assumiu não só os agendamentos, com também se tornou o empresário da banda. Como DJ de country da rádio WMPS, Neal tinha total influência na região e promovia vários shows de Elvis e a dupla de irmãos Jim Ed e Maxine Brown.
 
Estátua de Elvis no Louisiana Hayride
A banda 'Blue Moon Boys' estava progredindo e logo Sam Phillips desejava que os rapazes voltassem ao estúdio para gravar um novo compacto.

CONTINUA EM BREVE!

Fonte de pesquisa: Elvis Presley - A Vida na Música
Adaptação de texto: Simone Fernandes.

Licença Creative Commons
Elvis Presley Rei do Rock de Simone Fernandes é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em http://elvispresleyreidorock.blogspot.com/.

4 comentários:

  1. Olá, passei apenas pra dizer que já estou te seguindo e voltarei aqui futuramente pra fazer comentários sobre os posts.
    Seu blog é maravilhoso, convido você e suas leitoras a conhecer meu blog
    http://toobege.blogspot.com.br/
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariana, seja bem-vinda! Que bom que gostou do blog, fico muito feliz. Vou visitar o seu blog.

      Beijos e volte sempre :)

      Excluir
  2. Oi Simone. Eu visualizo Elvis nessa época como uma criança e o estúdio da SUN como o playground. Nada ofensivo. Mas era preciso que deixasse o (meninão) a vontade para testar as músicas, trabalhar nelas e (do nada) surgiria algo grandioso. Destaque para o Sam Phillips que tinha uma paciência de mãe até que chegasse o ápice de cada gravação. Claro, o mérito não era só dele. Elvis, Scotty e Bill nos dão a letra do que é trabalhar em equipe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Eu também fico imaginando a carinha do Elvis e seu coração explodindo de felicidade e ansiedade por tudo isso. Um fase realmente especial na vida dele.

      Um beijão ;)

      Excluir

Obrigada pela visita e comentário!

*Simone Fernandes*